10 alimentos para reduzir o açúcar no sangue e ajudar a controlar o diabetes.

18/08/2018
10 alimentos para reduzir o açúcar no sangue e ajudar a controlar o diabetes. O diabetes é caracterizado pelos altos níveis de glicose (açúcar) no sangue.



Diabetes é uma doença crônica que provoca altas taxas de açúcar no sangue. A causa pode ser desde a genética até maus hábitos alimentares acompanhados do sedentarismo.
Dados da Organização Mundial da Saúde divulgados em abril de 2016 estimaram que existem 422 milhões de diabéticos tipo 2 no mundo. Um número que quadruplicou desde 1980. Afeta 01 em cada 11 pessoas,  este aumento alarmante pode estar relacionado ao crescimento do número de indivíduos com sobrepeso e obesidade, porém o fator muito mais importante é a distribuição inadequada da gordura abdominal, que pode estar relacionada a diversos fatores, incluindo hábitos de alimentação incorretos e falta de atividade física.

Entenda: a doença se manifesta pela deficiência de um hormônio secretado pelo pâncreas chamado “insulina”, cuja função principal é ajudar no armazenamento de glicose, ácidos graxos e aminoácidos em seus depósitos por todo o corpo, e assim diminuir a concentração de açúcar no sangue.
Os sintomas são terríveis e, gradualmente, todo o corpo vai sendo danificado, caso não haja o cuidado necessário.

Veja 11 sinais que indicam a diabetes:
 1. Sede excessiva;
 2. Vontade de urinar com frequência;
 3. Cansaço sem motivos ou exageradamente fora do comum;
 4. Aumento de apetite;
 5. Rápida perda de peso;
 6. Dificuldade de concentração;
 7 Câimbras;
 8. Dores nas pernas;
 9. Visão embaçada;
10. Ferimentos e dificuldade de cicatrização;
11. Náuseas ou vômito.

Estima-se que no Brasil existam cerca de 11 milhões de diabéticos, sendo que 3,5 milhões não sabem que têm a doença.
A situação é tão preocupante que o Ministério da Saúde fez um apelo no ano passado para que a população brasileira mudasse alguns hábitos como seguir uma alimentação saudável, e praticar atividade física.


Existem dois tipos de diabetes:

1. Diabetes tipo 1 ou insulinodependente:
É mais comum em crianças e adolescentes e não tem nada a ver com o excesso de peso.

Neste caso, pouca ou nenhuma insulina é liberada no organismo, sendo o tratamento basicamente constituído de três ações:
– Mudança na dieta
– Exercícios físicos


2. Diabetes tipo 2 ou não insulinodependente:
Aparece mais em adultos, como uma falha do pâncreas ao liberar insulina.
Também é possível que os tecidos, como músculo, cérebro e fígado, resistam ao hormônio.
Este tipo de diabetes está bastante relacionado ao excesso de peso e pode ser controlado com alguns medicamentos.
Como você pode ver, a dieta é importantíssima para prevenir e tratar o diabetes.

Por isso, separamos uma lista com dez alimentos muito importantes para garantir a saúde e combater diabetes:

1. Aveia
Contém uma grande quantidade de nutrientes, como magnésio, ácido fólico e ômega 3.
Isso sem falar dos componentes químicos de natureza vegetal, como os lignanos e flavonoides, que contribuem para a prevenção de doenças crônicas, incluindo o diabetes.

2. Azeite de oliva
O azeite tem um monte de antioxidantes e gorduras monoinsaturadas, por isso é tão especial.
Para quem deseja diminuir os níveis de glicose no sangue ou perder peso, esta é a melhor opção de óleo.
Não se esqueça de que o excesso de peso é uma das causas do diabetes.
Portanto, procure azeite extra virgem, pois ele possui mais de 30 agentes antioxidantes e anti-inflamatórios e pode ser facilmente usado para refogar carnes e vegetais.
Além disso, fica uma delícia como molho em saladas.

3. Castanhas e sementes (como girassol, gergelim, castanha-do-pará e nozes)
Eles devem acrescentadas à dieta de quem tem diabetes.
Isso porque contém gorduras naturais necessárias para o nosso corpo, como fibra e vitamina E.

Sabe o que isso significa?
Ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue e o bom funcionamento do coração.
Pessoas diabéticas devem incorporar nozes em sua dieta e é recomendável que, antes de consumi-las, elas sejam imersas em água durante a noite para evitar a ação de seus inibidores enzimáticos.

4. Iogurte
Rico em probióticos que vão povoar a flora intestinal.
Os diabéticos também deve consumir iogurte natural para atender às necessidades de cálcio, perder peso e diminuir a resistência à insulina.
Pode ser consumido com cereais, frutas ou sozinho mesmo.

5. Canela
A canela contém vários componentes que ajudam o nosso metabolismo.
Ela, por exemplo, consegue armazenar carboidratos na quantidade certa, evitando o colesterol alto.
Você pode beber o chá de canela diariamente ou acrescentar o pó no preparo de pratos deliciosos.
Use seu bom gosto e criatividade!

5. Feijão branco
Este alimento é rico em fibras e minerais, como magnésio e potássio.
São alimentos que retardam o processo de digestão e facilitam a estabilização dos níveis de glicose no sangue.
O feijão, o grão-de-bico e a lentilha são excelentes opções para nossa dieta, seja como prato principal ou um ingrediente da salada.

7. Batata-doce
A batata-doce é um tubérculo rico em antioxidantes, como vitaminas A e C.
Ele é ótima substituta da batata-inglesa, graças ao baixo índice glicêmico.
Quem é diabético não terá problemas em consumir batata-doce.
Se for o seu caso, procure comer com casca e tudo, pois é onde tem maior concentração de nutrientes.

8. Vegetais de folhas verdes
Eles têm um índice muito baixo de calorias e carboidratos e altos níveis de minerais, fibras e vitamina C, o que contribui para a diminuição dos níveis de glicose no sangue.
Vegetais como salsa, acelga, repolhos, são ótimas opções para incluir na dieta.

9. Peixe ricos em gordura (como bacalhau e sardinha)
Ômega 3 é um ingrediente fundamental para incluir na dieta de pessoas com diabetes e doenças cardíacas.
O peixe é uma fonte rica deste ácido gordo.
Por isso é um excelente substituto para a carne.

10. Frutas vermelhas
Frutas como amora e framboesa são um incrível substituto para os doces, que são grandes os grandes vilões da diabetes.
Elas são ricas em vitaminas, fibras e antioxidantes que ajudam a prevenir o câncer, hiperglicemia e doenças cardíacas.
Por fim, para terminar, é bom entender que uma dieta balanceada ajuda a enfrentar o diabetes mais facilmente.
Você não precisa deixar de comer qualquer coisa doce, mas deve aprender a fazer tudo com responsabilidade.
Além do cuidado com a alimentação, é bom ter uma rotina de exercícios.


Existem também os pré-diabéticos, que são aqueles que possuem os níveis de glicose no sangue elevados, porém em níveis inferiores aos portadores de diabetes do tipo 2. As glicemias maiores que 100 mg/dL e glicemias pós-prandial (após alimentação) de 2 horas entre 140 e 199 mg/dL fazem o diagnóstico de pré-diabetes. Além de orientação nutricional e a prática de atividades físicas, pode-se iniciar medicação para impedir a piora da hiperglicemia. Isto deve ser decidido pelo endocrinologista que assiste o paciente.


NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Aguarde..